sábado, 29 de abril de 2017

Artigo publicado na Revista Coletânea: Ortodoxos, hereges e infiéis na conquista islâmica do Egito: política e religião em uma encruzilhada entre história e memória


Foi publicado um artigo de minha autoria na edição do primeiro semestre de 2016, recentemente disponilizada online, da Coletânea, revista acadêmica da Faculdade de São Bento do Rio de Janeiro (FSB-RJ). O presente texto, composto em sua forma atual nos meses de março e abril de 2016, sintetiza material antes disperso e ainda não publicado, apresentado em pelo menos quatro ocasiões diferentes. A primeira, como parte do projeto de pesquisa Os dois primeiros séculos de interações cristão-muçulmanas na História do Patriarcado Copta de Alexandria de Severo de Hermópolis (disponível a partir de link neste mesmo blog, em https://tinyurl.com/mqpblac), apresentado em outubro de 2014 à banca examinadora do processo seletivo para o Doutorado em História do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (PPGH/UERJ). A segunda, como comunicação apresentada no 14º Simpósio Nacional da Associação Brasileira de História das Religiões (UFJF, Juiz de Fora, 15 a 17 de abril de 2015), no âmbito do Grupo de Trabalho Cristianismos Orientais: religião, cultura e sociedade,  coordenado pelos professores Ms. João Vicente Dias (Universidade de Mainz), Ms. Lucas Paiva (FAECAD) e eu. A terceira, como trabalho de conclusão do curso História Política: novas perspectivas de abordagens, ministrado pela Prof.ª Dr.ª Lúcia Maria Bastos P. Neves no primeiro semestre de 2015 no PPGH/UERJ. Por fim, retomei-o no âmbito de atividade discente realizada no curso Tendências da Historiografia Contemporânea, ministrado pela Prof.ª Dr.ª Lúcia Maria Paschoal Guimarães no segundo semestre de 2015 no mesmo PPGH/UERJ. Sou muito grato pelas ricas oportunidades que tive de discutir estes escritos, refundidos de forma original no presente paper.

*

Título: Ortodoxos, hereges e infiéis na conquista islâmica do Egito: política e religião em uma encruzilhada entre história e memória

Resumo: O presente texto objetiva tecer uma reflexão sobre certos lugares-comuns na historiografia ocidental sobre a trajetória do cristianismo e seu relacionamento com o Islã, partindo da discussão a respeito das narrativas sobre a conquista árabe do Egito (639-641). Em primeiro lugar, evidencia a contingência da versão agora mais conhecida entre nós a respeito deste evento. A seguir, realiza o cotejo desta com a memória copta do mesmo acontecimento, conforme esta foi registrada na vita do Patriarca Benjamin de Alexandria (r.622-661). Chama atenção para os vínculos entre categorias de descrição histórica e de classificação religiosa, fundamentais para se entender a forma como se constituíram as diferentes narrativas do estabelecimento do Islã no Vale do Nilo e a relação de seus adeptos com os cristãos dessa região.

Formato: online (disponível em https://tinyurl.com/gly3rhq)

Investimento: acesso aberto

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Artigo publicado na Revista Transversos: Ritos de humilhação: al-Qasim ibn Ubaydallâh e os cristãos coptas (734-741)


Foi publicado um artigo de minha autoria na edição do segundo quadrimestre de 2017 da Transversos, publicação do Laboratório de Estudos das Diferenças e Desigualdades Sociais (LEDDES), vinculado ao Departamento de História e ao Programa de Pós-Graduação em História da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (PPGH/UERJ). A Transversos é publicada online desde o primeiro semestre de 2014, e apresenta agora um interessante dossiê com o mote Vulnerabilidades: pluralidade e cidadania cultural. Meu paper, publicado na seção de textos de tema livre, trata da história e da memória dos cristãos coptas a respeito do governo do emir al-Qasim ibn Ubaydallâh (734-741 AD/101-119 AH), e é um produto de minha pesquisa de doutorado, um apêndice do projeto de pesquisa Os dois primeiros séculos de interações cristão-muçulmanas na História do Patriarcado Copta de Alexandria de Severo de Hermópolis, no qual venho trabalhando, na condição de aluno do mesmo PPGH/UERJ, desde o início desde 2015.

*

Título: Ritos de humilhação: al-Qasim ibn Ubaydallâh e os cristãos coptas (734-741)

Resumo: De 734 a 741 AD, al-Qasim ibn Ubaydallâh governou o Egito, então uma parte do califado omíada. Durante este período, manteve uma política ao mesmo tempo de proximidade e de agressividade para com os cristãos coptas, caracterizada pela execução daquilo que bem poderiam ser chamados de ritos de humilhação destes. Esse governo e esse relacionamento foram registrados principalmente na História do Patriarcado Copta de Alexandria, crônica oficial desta comunidade religiosa, o que possui importantes consequências cognitivas. Este artigo objetiva retomar a narrativa desta interação de forma analítica, chamando atenção para alguns dos contextos sociopolíticos e religiosos e dos clichês literários e teológicos que nela se fazem presentes.

Formato: online (disponível em https://tinyurl.com/n8ppbu5)

Investimento: acesso aberto